Offcanvas Section

You can publish whatever you want in the Offcanvas Section. It can be any module or particle.

By default, the available module positions are offcanvas-a and offcanvas-b but you can add as many module positions as you want from the Layout Manager.

You can also add the hidden-phone module class suffix to your modules so they do not appear in the Offcanvas Section when the site is loaded on a mobile device.

Neste momento de crise, todos precisamos sair em defesa da Magistratura, inclusive os membros do 2o grau, pois a intenção é aniquilar o Poder Judiciário, mormente pela destruição do nosso sistema remuneratório.

Vamos sair da inércia (todos!) e, cada um a seu modo e pelo canal de comunicação que puder, dialogar com a população para mostrar que estamos ao lado do povo, pelo povo e para o povo.

Seguindo essa ideia, elaborei hoje singela mensagem para a população, em linguagem acessível, para divulgar no meu perfil do Facebook (compartilho-a abaixo). 

Vamos lutar, colegas. A Magistratura não cairá.

Segue a mensagem:

"Por motivos não ostensivamente revelados, percebe-se atualmente verdadeira onda de ataques ao Poder Judiciário, seja em relação aos ganhos dos magistrados (que, por lei, podem apenas ser magistrados e professores, sem permissão para exercerem outras atividades), seja quanto às próprias atividades dos juízes, ameaçados com um novo e persecutório projeto de lei de abuso de autoridade.

O que muitos parecem esquecer é que não há agente de Poder mais próximo da população e a serviço do povo do que os juízes. O enfraquecimento dos magistrados implica o enfraquecimento da própria sociedade e dos direitos fundamentais. E o povo sentirá na pele os efeitos danosos de uma Justiça fraca e acuada.

Quando alguém precisa de pensão alimentícia, religar a luz que foi indevidamente cortada, retirar o nome do SPC/SERASA, pedir indenização por dano sofrido por  causa de operadora de telefonia ou de empresa de transporte aéreo, solicitar uma cirurgia ou atendimento de emergência negados por um plano de saúde, livrar o salário que foi ilicitamente apropriado na conta corrente pelo banco etc., não se procura o deputado, senador, prefeito ou governador para resolver, procura-se o juiz, que é quem tem poder garantido pela Constituição para solucionar esses casos. 

Aliás, dos membros de Poder somente os magistrados estão presentes 24h por dia, todos os dias, para atender a população, já que estamos em permanente escala de plantão, inclusive à noite com os plantões noturnos.

Vamos também lembrar que nos juizados especiais cíveis qualquer pessoa, mesmo sem advogado, pode ingressar com uma ação à procura dos seus direitos. E se a ação demora para chegar ao fim, é porque são milhões ajuizadas por dia no Brasil para um número insuficiente de juízes apreciar. Isto mostra que o povo, na hora do desespero e da carência, ainda confia ao Poder Judiciário a última tentativa de solução dos problemas.

Percebam, então, a quem interessa a destruição dos poderes e da remuneração dos magistrados, o quais, sobretudo, são profissionais que chegaram ao seus cargos por duríssimos concursos públicos (muitos de origem humilde, como eu), que estudaram e ainda estudam muito (como manda a Constituição) para oferecer justiça aos mais fracos e não dependem da política partidária para exercer suas funções com independência e destemor.

A quem interessa enfraquecer os juízes? A quem o povo recorrerá se os juízes não tiverem mais autoridade para saciar a sede de justiça da comunidade?

Pensem nisso."

Giordane Dourado, juiz titular do 3o Juizado Especial Cível da Comarca de Rio Branco/AC